Palestra gratuita: Culpa, ressentimento e a inversão dos valores em Nietzsche, 29/04, às 20h




Segundo Nietzsche, como os valores não são dados, é necessário saber qual é o valor dos valores morais, o que envolve a importância do conhecimento das condições e circunstâncias em que surgiram, ou seja, é necessário investigar sob quais condições o homem ocidental inventou o “bom” e o “mau”. Tendo a expansão da vida como critério, Nietzsche coloca os seguintes problemas: e se o que é considerado “bom” pelos homens for algo que entrava o crescimento da vida, debilitando a vontade? E se a moral da compaixão levar o homem, por não mais ser capaz de suportar o sofrimento da existência, ao caminho do nada, ao niilismo passivo? E se esse processo de debilitamento da vontade no homem for a condição para a transmutação da vontade e a transvaloração dos valores? Um estudo desses problemas envolve necessariamente alguns aspectos essenciais da obra nietzschiana. Primeiro: a relação entre fisiologia, forças e vontade de potência; segundo: o domínio de certas forças no homem foi condição para a gênese dos valores morais vigentes; terceiro: os valores morais são sintomas de um modo de vida ressentido (o homem reduzido à memória das marcas), envolvendo, sem dúvida, um esgotamento fisiológico; quarto: o estabelecimento de valores morais que favorecem um modo de viver reativo apenas foi possível através da interpretação sacerdotal do sofrimento, sempre sob a perspectiva da culpa; quinto: os valores morais que propagam o modo reativo de existir conduzem inevitavelmente o homem ao sentimento do nada, à vontade do nada (o extremo do niilismo). Portanto, culpa e ressentimento, que são sentimentos que se tornaram tão comuns que podem nos levar a acreditar que eles são inerentes ao homem, são inseparáveis de uma moral que reprime continuamente as forças ativas do homem, impedindo-o de criar novos valores.


Evento gratuito. Dia 29/04, segunda-feira, às 20h.

Confirmar presença pelo e-mail eventos@mundopensante.com.br

Rua Treze de Maio 825 (próx. ao Metrô Brigadeiro), Bela Vista, São Paulo




 


Amauri Ferreira é filósofo, escritor e professor. Ministra cursos livres de filosofia e palestras em diversos espaços culturais e instituições de ensino. É autor dos livros "Introdução à Filosofia de Spinoza" (Editora Quebra Nozes) e "Introdução à Filosofia de Nietzsche" (Editora Yellow Cat Books). É também autor dos artigos "Mente, corpo, imaginação e memória em Espinosa", "Culpa, ressentimento e a inversão dos valores em Nietzsche" (ambos publicados pela revista Filosofia, da Editora Escala) e "Corpo e pensamento: a invenção de outro sentido" (publicado pela Revista Reichiana, do Instituto Sedes Sapientiae).

Livros e artigos para download, cursos, vídeos e áudios estão disponíveis em www.amauriferreira.com

Acompanhe também pelo Facebook e Twitter. 




Comentários