Curso: Encontros com Deleuze, início em 14/05

"Se não houvesse filosofia, não questionaríamos o nível da besteira.
A filosofia impede que a besteira seja tão grande". Gilles Deleuze

Cada encontro terá a exibição de um tema comentado por Gilles Deleuze (1925-1995) no vídeo O abecedário de Gilles Deleuze, de Pierre-André Boutang, onde ele é entrevistado por Claire Parnet. Deleuze fala sobre a arte como resistência, a crítica à concepção psicanalítica do desejo, a literatura, o pensamento de Spinoza e de Nietzsche, e outros temas que, de certo modo, servem como uma introdução ao seu pensamento. Cada tema que será exibido tem, em média, 20 minutos de duração. Após a exibição, haverá uma aula expositiva que irá articular os comentários que Deleuze faz no vídeo com outros conceitos da sua obra filosófica.

O curso é destinado a universitários, pós-graduandos, profissionais de diferentes áreas e interessados em geral. Não é necessário ter formação em filosofia para participar. As aulas serão gravadas e os áudios serão disponibilizados aos participantes.


Temas dos encontros:


14/05: D de Desejo 
“Nunca desejo algo sozinho, desejo bem mais, também não desejo um conjunto, desejo em um conjunto... Não há desejo que não corra para um agenciamento... Desejar é construir um agenciamento, construir um conjunto...”.

21/05: H de História da Filosofia 
“Há uma coisa que me parece certa: um filósofo não é uma pessoa que contempla e também não é alguém que reflete. Um filósofo é alguém que cria. Só que ele cria um tipo de coisa muito especial, ele cria conceitos”.

28/05: I de Idéia 
“Criar é ter uma idéia. É muito difícil ter uma idéia. Há pessoas extremamente interessantes que passaram a vida inteira sem ter uma idéia. Pode-se ter uma idéia em qualquer área. Não sei onde não se deve ter idéias. Mas é raro ter uma idéia. Não acontece todos os dias”.



04/06: J de Joie [Alegria]
“O poder é sempre um obstáculo diante da efetuação das potências. Eu diria que todo poder é triste. Mesmo se aqueles que o detém se alegram em tê-lo. Mas é uma alegria triste. Sim, existem alegrias tristes. Mas a alegria é uma efetuação das potências”.

11/06: R de Resistência 
“Acho que, na base da arte, há essa idéia ou esse sentimento muito vivo, uma certa vergonha de ser homem que faz com que a arte consista em liberar a vida que o homem aprisionou. O homem não pára de aprisionar a vida, de matar a vida... O artista é quem libera uma vida potente, uma vida mais do que pessoal”.

18/06: V de Viagem 
“Não preciso sair. Todas as intensidades que tenho são imóveis. As intensidades se distribuem no espaço ou em outros sistemas que não precisam ser espaços externos. Garanto que quando leio um livro que acho bonito ou quando ouço uma música que acho bonita, tenho a sensação de passar por emoções que nenhuma viagem me permitiu conhecer”.


Início: 14 de Maio de 2011
Duração: seis encontros, de 14 de Maio a 18 de Junho
Horário: aos sábados, das 15h às 17h00
Valor: R$ 160,00 ou 2x de R$ 80,00
Local: Rua Costa Carvalho 93, Pinheiros, São Paulo

Vagas limitadas!
Inscrições: envie um e-mail para amaureks@gmail.com e informe nome, e-mail e telefone. O pagamento é feito no local do curso.



Comentários